(Falta de) Estratégia para os transportes marítimos

Home / Crónicas / (Falta de) Estratégia para os transportes marítimos

(Falta de) Estratégia para os transportes marítimos

Na minha opinião, esta ausência de interesse, reflecte uma grande falta de estratégia para o sector dos transportes marítimos. Com efeito, se a nossa plataforma continental for alargada para além das 200 milhas conforme o país tem vindo a propor nas instâncias internacionais, como poderemos aproveitar as riquezas desse imenso mar que irá ficar sob a nossa jurisdição, se não tivermos navios para transportar mercadorias, pescar ou realizar outras actividades associadas à economia do mar?

Luis Filipe Baptista Presidente do Conselho Técnico-Científico Escola Superior Náutica Infante D. Henrique

Por outro lado, estando o país a aumentar as exportações para países fora do espaço europeu, não seria mais vantajoso apostar numa marinha mercante própria para transportar as nossas mercadorias, em vez de continuarmos a gastar anualmente centenas de milhões de euros em fretes de navios estrangeiros?

Recentemente, o Governo propôs como meta para o sector duplicar até 2020 a percentagem do PIB atribuída à economia do mar. Esperemos que essa meta se traduza numa forte dinamização do sector marítimo-portuário, de modo a que possamos acreditar que o mar é mesmo um novo desígnio nacional.